Relógio biológico: entenda seu funcionamento e como ele afeta a sua vida

Saiba mais sobre o verdadeiro conceito de relógio biológico, suas implicações e o que se convencionou chamar de jet lag social

Todo mundo já ouviu falar sobre relógio biológico e sua função em nosso organismo. No entanto, existe uma certa confusão quanto ao verdadeiro significado do termo, que costuma ser empregado de forma indevida pelas pessoas em geral.

Para desfazer qualquer confusão, tenhamos claro que relógio biológico é um ciclo circadiano (período de aproximadamente 24h) em que ocorrem nossos principais processos biológicos, como dormir, despertar, comer, ir ao banheiro etc. Isso se aplica ao organismo de qualquer ser vivo, sejam plantas, animais ou bactérias.

Naturalmente, pessoas distintas poderão ter ciclos muito diferentes, o que em alguns casos pode ser um problema e tanto. Basta pensar em quem é notívago e costuma apresentar maior disposição somente durante a noite ou madrugada, dando preferência por realizar a maioria de suas atividades durante esse horário.

As badaladas de nosso relógio biológico

Todas as manhãs, células posicionadas em nossa retina captam a luminosidade do dia e transmitem um impulso elétrico a uma pequena região de nosso cérebro chamada de núcleo supraquiasmático, que se assemelha a um comando de despertar. Isso porque, depois de receber esse estímulo, o supraquiasmático leva todo o nosso cérebro a comandar a produção de hormônios ligados a várias funções fisiológicas.

Se fizéssemos uma linha do tempo com nosso ciclo circadiano, esses seriam os primeiros minutos do ciclo. Ao mesmo tempo, como já destacamos, diferentes pessoas podem ter disposições orgânicas diferentes, de modo que para quem costuma despertar somente pelo final da manhã ou já no período da tarde, as primeiras horas da madrugada representam um período de bastante disposição.

O experimento de Jürgen Aschoff

No início dos anos de 1960, o psicólogo alemão Jürgen Aschoff resolveu conduzir um experimento totalmente inovador para época relacionado à regulação de nosso relógio biológico. Nessa experiência, cobaias humanas foram levadas a viver alguns meses confinadas em bunkers sem contato com a luz do dia ou referência de horário.

Passadas algumas semanas, percebeu-se que as pessoas apresentavam ciclos biológicos muito diferentes em relação ao que mantinham em condições normais. A maioria, em vez de cumprirem as tradicionais 24h do ciclo circadiano, passaram a uma rotina de 25, 26h.

No entanto, os casos que mais chamaram a atenção foram de indivíduos que passaram a adotar ciclos de até 50h. Isto é, o dia interno dessas pessoas era o equivalente a dois dias solares, sendo que nesse período elas mantinham o hábito de fazer apenas 3 refeições e dormiam cerca de ? dessas horas, proporção compatível ao descanso de ciclos de 24h.

Jet leg social e produtividade

Como o próprio experimento de Jürgen Aschoff faz entender, o relógio biológico de cada um pode apresentar ciclos muito diferentes entre si. No entanto, a disposição orgânica de algumas pessoas pode não coincidir com o meio de vida “tradicional”, em que entre 8h e 17h estamos em um escritório trabalhando ou resolvendo outras demandas rotineiras.

A essa discrepância entre horários sociais e biológicos dá-se o nome de jet lag social, termo cunhado pelo pesquisador Till Roenneberg, numa espécie de adaptação ao termo original que designa mal-estar e incômodo decorrente da adaptação do organismo a um novo fuso horário.

E quem sofre com esse problema sabe muito bem listar uma série de dificuldades do dia a dia. A principal delas talvez seja passar por alguém que é improdutivo ou que não goste de trabalhar. Afinal, quem acorda tarde costuma transparecer uma imagem de um procrastinador, quando na verdade pode cumprir com as mesmas tarefas que outras pessoas normalmente.

Inclusive, esse “desajuste” é mais comum do que poderíamos imaginar. Pesquisa conduzida pelo professor Roenneberg, na Universidade de Munique, avaliou mais de 65 mil pessoas, das quais 68% apresentaram algum nível de jet lag social, problema que guarda relação com doenças tipicamente de nossos tempos, como sobrepeso e ansiedade.

Qual sua opinião sobre tudo isso? Você conhecia o funcionamento dos ciclos biológicos de nosso organismo? Já tinha ouvido falar de jet leg social? Deixe seu comentário!

Tags: funcionamento jetlag organismo relógiobiológico