Pesquisa aponta que dinheiro é a maior causa de estresse entre os brasileiros

O dinheiro, ou a falta dele, reflete diretamente na nossa saúde

Qual a relação entre a saúde financeira e o bem-estar de um brasileiro? A resposta para essa pertinente pergunta foi procurada pela sexta edição da pesquisa anual “Global Investor Pulse”, elaborada pela BlackRock, visando a melhor compreensão da relação entre os dois aspectos da vida de um cidadão comum nascido no Brasil.

As conclusões da pesquisa são no mínimo muitíssimo curiosas. A primeira delas, sem cerimônias, é a de que o dinheiro é a principal causa de estresse entre os brasileiros, mesmo que, em contrapartida, a população veja de maneira positiva o próprio nível de bem-estar numa forma geral. Além disso, mesmo diante de um cenário preocupante no país, onde as discussões em torno da aprovação da Reforma da Previdência têm se intensificado, o brasileiro permanece focado em objetivos financeiros de curto prazo, com baixo índice de poupança para o futuro, sendo que a maioria dos jovens brasileiros, devido a baixa educação financeira, sequer tem a noção de como começar a investir.

A BlackRock revela que uma das principais descobertas do estudo é que o dinheiro é a principal causa de estresse no Brasil, atingindo 58% das respostas. O segundo lugar foi ocupado pelo trabalho (57%) e logo atrás a família, na terceira posição (35%). Entretanto, contradizendo o que se espera de resposta para o questionamento seguinte, 78% das respostas mostram que os brasileiros mostram otimismo, registrando um alto nível de bem-estar. O dado supera todos os mercados a nível global, que atingiram 61%.

Segundo o estudo, o brasileiro enxerga outros aspectos da vida como saúde física e mental como a melhor definição para bem-estar. Aspectos esses que ficam bem a frente de prioridades em relação a atingir metas financeiras. O indicador positivo é ainda mais surpreendente se analisarmos que 48% dos brasileiros acreditam ter uma boa saúde financeira. Parece pouco para você? Se a resposta for sim, a terceira colocação do Brasil nessa tabela pode mudar sua opinião. No ranking do otimismo financeiro, o México lidera com 53% de seu povo considerando-se financeiramente saudável. Os chineses são os vice-campeões com 51%. O Brasil fica na frente da média global, que corresponde a 42%.

Reforma da Previdência

Vivendo tempos turbulentos em relação à política e economia, o Brasil mostra outros dados preocupantes. O estudo indica que os brasileiros estão preocupados com a tramitação da reforma da Previdência, mas estão cometendo equívocos para se prepararem para a mudança que está por vir. O foco do cidadão tupiniquim está nas metas financeiras a curto prazo, com 61% dos entrevistados afirmando que visam possuir mais dinheiro para melhorar a qualidade de vida. Porém, apenas 53% deles disseram poupar com o objetivo de estarem mais seguros financeiramente no futuro. A média mundial é de 63%. Se compararmos com os dados de 2017, os brasileiros somavam 65% nesse aspecto.

Muitos outros aspectos foram avaliados pela pesquisa, como o fato de 87% dos jovens brasileiros acreditarem que suas finanças melhorariam se começassem a mergulhar no mundo dos investimentos, porém 57% deles não sabem por onde começar. Além disso, a BlackRock afirma que os brasileiros se identificam mais em economizar do que em investir e, quando investem, preferem arriscar em ativos reais, como os imóveis, pois são vistos como mais seguros.

A pesquisa foi realizada entre julho e agosto de 2018, com base nas respostas de 24.682 pessoas de 13 mercados internacionais distintos. No Brasil, 1.050 pessoas foram entrevistadas, com idades entre 25 e 74 anos.

E você? Anda se estressando com dinheiro? Se sim, o que faz para mudar esta realidade? Conta pra gente nos comentários.

Tags: finanças planejamentofinanceiro

Veja mais