Crescimento do Tesouro Direto: já aprendeu a investir?

Entenda na prática como começar a investir no Tesouro Direto a partir do passo a passo que preparamos para você

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional criado em 2002 em parceria com a BMF&F Bovespa para viabilizar a comercialização de títulos da dívida pública. Basicamente, o investidor adquire títulos da dívida do governo federal sob a promessa de receber futuramente um valor correspondente ao investimento acrescido de juros.

Antes da criação desse programa, o Tesouro Direto era visto como uma opção de investimento pouco atrativa, pois as transações envolviam a cobrança de elevadas taxas de carregamento por bancos e corretoras de investimento.

 

Desde então, essa modalidade de investimento se popularizou fortemente entre os brasileiros. Para se ter uma ideia, ao final de 2018, mais de 1,5 milhão de pessoas mantinham cadastro ativo no tesouro nacional para compra e venda de títulos.

Isso se deve, em grande parte, a boa rentabilidade desse tipo de aplicação e seu baixíssimo risco. Não se esqueça que o Tesouro Direto é um investimento de renda fixa. Isto é, a rentabilidade da operação é conhecida no momento da aquisição do título, configurando um tipo de relação diferente da observada nos investimentos em renda variável, que tem rentabilidade oscilante entre as datas de aplicação e resgate.

E para entender na prática como investir e fazer do Tesouro Direto o destino preferencial de seus recursos, preparamos um pequeno passo a passo com todas as etapas que você deve seguir. Não deixe de conferir!

1° Passo

Consiste em conhecer os pré-requisitos para começar a investir, que são simplesmente ter um CPF e uma conta corrente. Muito simples, não é mesmo? Continue a leitura e acompanhe os próximos passos.

2° Passo

Nada mais é que escolher a instituição financeira de sua preferência para intermediar suas transações com o Tesouro Direto, que pode ser tanto um banco quanto uma corretora. Você pode conferir aqui a lista de instituições habilitadas a proceder com a compra e venda de títulos públicos e as respectivas taxas de administração cobradas.

3° Passo

Solicite junto a instituição financeira escolhida o cadastro de seu perfil de investidor para começar a comprar títulos. Para isso, você deverá fornecer toda a documentação solicitada.

4° Passo

Realizado o cadastro você receberá uma senha provisória da BM&FBovespa para começar a acessar o ambiente restrito do Tesouro Direto. Lá você poderá realizar todas as operações de compra e venda dos títulos, além de realizar consultas variadas, seja de extrato ou saldo de sua conta de investimentos.

5° Passo

O último passo é, finalmente, começar a operar no Tesouro Direto. Nesse momento, você deve optar pelo título que melhor condiz com seu perfil de investidor e expectativas para com o investimento. Para isso, convém ler bastante sobre cada uma das opções disponíveis e acompanhar alguns guias e manuais disponibilizados no site do Tesouro Nacional.

Tags: investimento investir tesouro direto

Veja mais