Contratação de cuidador de idoso: como administrar o custo

Contratar o cuidador de idoso exige atenção. Como ter certeza de que está fazendo a coisa certa? Saiba tudo que você deve levar em consideração!

É comum que a família e os amigos sugiram que o idoso encontre alguém para ajudar nas tarefas domésticas e nas responsabilidades diárias.

Ter outra pessoa assumindo algumas de suas tarefas domésticas ou de cuidados pessoais pode parecer cômodo, mas o que significa ter alguém em casa, como um cuidador de idoso, para te “ajudar”? Como contratar esse profissional?

Nós explicaremos tudo o que você precisa saber sobre a contratação de um cuidador, especialmente considerando os aspectos financeiros e legais envolvidos nesse processo! Vamos lá?

Quando é hora de contratar um cuidador de idoso?

Ao decidir se chegou o momento de contratar um cuidador de idoso, é preciso considerar algumas necessidades. Estes são os principais aspectos e cuidados a serem analisados:

- Emocionais: companheirismo, atividades significativas, conversação.

- Pessoais: tomar banho, comer, vestir, ir ao banheiro.

- Saúde: gestão de medicação, consultas médicas, fisioterapia.

- Domésticos: cozinhar, limpar, lavar roupa, fazer compras.

Contratar ajuda pode aliviar algumas das tarefas pelas quais o próprio idoso ou algum parente próximo é responsável, garantindo a assistência necessária para mais qualidade de vida para a pessoa da terceira idade.

Como escolher o cuidador de idoso?

O primeiro passo para encontrar um cuidado é anotar todas as necessidades e limitações do idoso, assim como o nível de assistência necessária, gostos, expectativas e recomendações médicas. 

Se você está procurando um cuidador que será o seu principal companheiro ou de um parente querido, é importante discutir as diferenças culturais, de idade e gênero para encontrar a correspondência certa.

É recomendável fazer um período de teste durante uma semana ou mais para avaliar como todos os envolvidos se sentem a respeito do cuidador e sobre como o próprio profissional se sente em relação ao paciente e ao escopo do trabalho.

Como administrar o custo da contratação?

A legislação que regulamenta o trabalho de um cuidador de idoso, atualmente, no Brasil é a Lei Complementar nº 150/2015, derivada da PEC das domésticas.

Entretanto, está em votação no Congresso o Projeto de Lei n° 284/2011 para regulamentar a profissão de cuidador de idoso. Até lá, quem contrata esse profissional deve respeitar as seguintes premissas: 

  • Controle da jornada de trabalho em folha de ponto, contando horas extras e adicional noturno (caso a jornada seja de 44 horas semanais), faltas e atrasos;
  • Jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44 horas semanais, ou jornada de trabalho de 12x36 (plantão);
  • Benefícios como vale-transporte, licença-maternidade ou paternidade;
  • Descanso aos domingos e feriados ou, pelo menos, um dia na semana;
  • Férias de 30 dias a cada 12 meses;
  • Aviso prévio de 30 dias.

O procedimento para contratação de cuidador de idoso segue o mesmo padrão da contratação de uma pessoa como empregada(o) doméstica(o), de acordo com as definições da CLT.  A carteira deve ser assinada e o profissional deve ser cadastrado no portal do e-Social como prestador de serviços domésticos. 

Contratar um cuidador de idoso pode exigir um pouco de trabalho. Contudo, observando os detalhes acima é possível ter certeza de que se está fazendo a coisa certa! 

E você, já começou sua procura? Tem alguma experiência para compartilhar conosco e com nossos leitores? 

Tags: cuidador custos idoso limitações tarefas

Veja mais