Como estruturar projetos a curto e longo prazos

Para alcançar objetivo é essencial ter ideia dos custos e fixar um prazo de realização

Se a ideia é planejar o futuro financeiro, o primeiro passo é estabelecer suas metas. E, tão importante quanto ter objetivos definidos, é estipular um prazo para alcançá-los. No entanto, é justamente nesse ponto que muitas pessoas cometem equívocos e diminuem as possibilidades de conquistarem seus sonhos.

Por isso, é muito importante entender quanto custará cada um dos seus objetivos e qual é o prazo mais adequado para atingi-lo. “Na esmagadora maioria dos casos, alguns objetivos tornam-se inatingíveis por causa do prazo mal dimensionado, resultado da falta de planejamento prévio”, revela o planejador financeiro Mauri de Souza, certificado pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros.

Em geral, as metas podem ser divididas em curto, médio e longo prazos. “As metas de curto prazo são aquelas que você pretende alcançar em até dois anos, a compra de uma nova televisão, computador ou a realização de uma viagem nacional, por exemplo. As de médio prazo são as que, pelo planejamento, devem se tornar viáveis entre dois e cinco anos, como uma aquisição ou troca de carro, uma viagem ao exterior etc. As de longo prazo são as metas que traçamos para um período superior a cinco anos, um intercâmbio no exterior, a educação dos filhos até a faculdade, a compra de um imóvel, a aposentadoria, entre outros”, explica Rogério Nakata, planejador financeiro também certificado pelo IBCF.

Souza afirma que é preciso seguir um passo a passo financeiro muito simples, para organizar-se adequadamente. “Primeiro, é necessário listar todos os objetivos que você deseja atingir. Em seguida, calcule quanto dinheiro será necessário para alcançar cada um e, por fim, defina um prazo, em meses ou anos, para realizá-las”.

Feito isto, é hora de colocar o planejamento à prova: basta dividir o custo de cada meta pelo prazo em que pretende alcançá-la. Assim, saberá quanto é preciso poupar mensalmente. “Por fim, ao somar os valores das ‘parcelas’ das suas metas, verifique se o seu orçamento comporta o investimento”, acrescenta Souza.

E caso as prestações estejam acima do que você poderá poupar, algumas medidas devem ser tomadas:

  • Altere o prazo para a realização das metas (aumentar ou reduzir algumas delas);
  • Reduza o valor necessário para realizar as metas;
  • Escolha as metas mais importantes e eliminar as que não são tão relevantes;
  • Reduza despesas pessoais;
  • Aumente a receita da família.

 

Tags: futuro investimentos Mauri de Souza organização financeira planejamento financeiro Rogério Nakata

Veja mais