5 dicas para viver com menos dinheiro

Viver com menos dinheiro representa qualidade de vida e tomadas de decisão com consciência. Veja o que fazer para equilibrar esses dois aspectos

O Brasil tem 61,8 milhões de inadimplentes. O número é recorde e representa 40,3% da população adulta. Essas pessoas buscam formas de viver com menos dinheiro, mas o que elas provavelmente desconhecem é a ideia do minimalismo financeiro.

O conceito passa por encontrar prazer nas pequenas coisas e viver bem e com qualidade de vida, mas sem muito dinheiro. Isso não significa desequilibrar as contas, deixar de pagar as dívidas ou se privar do conforto. Bem pelo contrário. Passa por escolhas inteligentes, que priorizam o seu bem-estar, em vez de fazer tudo para ganhar sempre mais.

Percebe alguma identificação entre sua forma de pensar e essa ideia? Então, veja 5 dicas práticas para viver com menos dinheiro e escolher somente atividades que trazem significado para sua vida.

1. Identifique o que é fundamental para você

Todos temos nossas prioridades — e sua análise para o minimalismo financeiro deve partir daí. Se você é solteiro ou casado e sem filhos, provavelmente gosta de sair, deseja ter o conforto da TV a cabo e viajar. Já uma pessoa ou casal com crianças poderá colocar na conta o pagamento da mensalidade escolar, cursos de idiomas e outras necessidades.

O importante é ver o que é totalmente relevante para você. Ao considerar esses aspectos, some quanto precisará para as contas do dia a dia, o montante para gastos supérfluos e outra quantia para economizar.

Lembre-se de que você não precisa sair para jantar todos os dias da semana. O ideal é alcançar o equilíbrio e ver o que traz felicidade real, como amigos, saúde, família, afeto e criatividade.

2. Elimine o supérfluo

Tudo o que não foi colocado como prioridade no primeiro passo deve ser eliminado. Pense, por exemplo, se realmente precisa de dois carros, mais de um aparelho televisor, plano de celular pós-pago e por aí vai.

Ao mesmo tempo, faça algumas substituições que ajudam a controlar os gastos. No supermercado, busque promoções. Com as roupas, busque comprar apenas quando necessário e ignore as grifes, que são mais caras.

Essa economia servirá para custear o que realmente importa para você, como aquela viagem para o exterior, a Netflix ou qualquer outro serviço ou produto que traga prazer.

3. Convide seus amigos para sair

É impossível ficar somente em casa e ignorar a interação social. Porém, quando você é chamado para sair, terá que aceitar o local — e ele pode ser caro. Por isso, tome a iniciativa e chame as pessoas para fazer algum programa ou passeio.

Uma ideia é fazer festinhas em casa, especialmente se você gostar de cozinhar. Outra é indicar locais mais baratos, onde todos possam se divertir sem comprometer o orçamento.

4. Ignore o impulso de comprar

Fomos criados em um mundo capitalista e somos bombardeados por anúncios de novos produtos e serviços constantemente. O resultado? A dificuldade de abandonar os impulsos de compras e a vontade de adquirir aquela blusa, bolsa, sapato, calça etc.

Para deixar de lado essas questões, primeiro ignore os comentários das pessoas que não entenderem a sua ideia de minimalismo financeiro. Mais que isso, escolha ficar satisfeito. Por mais que não pareça, esse sentimento é verdadeiramente uma opção.

Basta aprender a dar valor para o que realmente importa no seu cotidiano. Seja grato pelo que tem, pelas oportunidades e pelas pessoas que estão em sua vida. E quando fizer algo, reconheça sua importância, por menor que seja. Pode ter certeza que um mergulho na praia da sua cidade ou seu estado é tão revigorante quanto a mesma ação em uma praia do Caribe.

5. Alcance o equilíbrio

Uma vida equilibrada é importante para aprender a valorizar as coisas pequenas e saber viver bem com menos dinheiro. Para isso, o primeiro passo é acabar com a bagunça. As coisas desarrumadas e jogadas tendem a gerar muita confusão. Ao organizar, também pode jogar fora algumas coisas desnecessárias e contar com itens que nem lembrava que tinha.

Essa medida também diminui o estresse e traz uma sensação de tranquilidade. É o momento perfeito para aprender a ter equilíbrio emocional e financeiro. Dessa forma, realizará compras que fazem diferença na sua rotina, sem gastos desnecessários.

Em suma, viver bem com menos dinheiro é totalmente possível, desde que você aprenda a valorizar o que é realmente importante. Ao ter essa atitude, verá que o trabalho e o salário devem servir para ter conforto e qualidade de vida, não para acumular patrimônio, apenas.

E você, como vive sua vida? Está refletindo sobre esse assunto? Compartilhe esse assunto e ajude outras pessoas a entenderem por que é importante valorizar o conforto e o bem-estar.

Tags: consciência menos dinheiro qualidade de vida tomadas de decisão

Veja mais